Páginas

11

Alimentação saudável para crianças a partir de 6 meses

A pedidos vou postar hoje o esquema de alimentação que segui com meus dois meninos.


Esse cardápio foi feito por mim (que sou técnica em nutrição) e pela pediatra dos meus filhos. Juntas chegamos a essa rotina alimentar que apresenta para o bebê pratos saudáveis e podem facilitar essa fase tão difícil que é o início da alimentação sólida.


A educação alimentar hoje é muito importante, pois os transtornos alimentares estão atingindo crianças cada vez mais novas. E com esse cardápio você estará ensinando seu filho a gostar de alimentos saudáveis.


Esse cardápio é para crianças a partir dos 6 meses de idade, porque até o sexto mês o bebê deve receber leite materno exclusivo por ter seu sistema digestório ainda imaturo. Sei que existe mães que por algum problema ou dificuldade não consegue manter a amamentação exclusiva até o sexto mês, nesse caso esse cardápio não deve ser utilizado.


E vale lembrar que a alimentação diária deve ser rica em grãos integrais, carboidratos, frutas, verduras e proteínas, a fim de que ele consuma todos os nutrientes (energéticos, construtores e reguladores) de que precisa.


Então vamos lá:
4

Alimentação saudável na infância, um fruto a ser colhido na vida adulta

Li um reportagem no Estadão muito interessante esses dias onde dizia que a alimentação na primeira infância afeta o QI.


Fico um pouco receosa com esse tipo de reportagem, pois como sou biomédica e trabalhei com pesquisa científica, sou bastante criteriosa para aceitar certos tipos de resultados. Tenho minhas objeções à essa pesquisa apresentada, mas gostei doa abordagem da matéria.


Nessa reportagem foi feita uma pesquisa com 14 mil crianças inglesas onde constataram que aquelas que haviam recebido uma alimentação saudável até os 3 anos de idade tinham um QI mais alto.


Não sei quais os critérios dessa pesquisa (pois não achei o artigo original) mas a reportagem é válida para chamar nossa atenção para a alimentação dos nossos filhos.


Sou daquelas mães que chamam de "chata", pois me preocupo e muito com tudo o que meus filhos comem, pode ser porque sou também técnica em nutrição, mas para mim a educação alimentar é muito importante.

4

Pais de atitude

Outro dia estava em uma fila e estava ouvindo a conversa de 2 pessoas à minha frente. Uma delas tinha um filho de 8 meses, aparentemente solteira e vivia com os pais. Ela estava comentando com a amiga como estava cansada por todo trabalho de mãe que conhecemos bem, de vez em quando seu pai até ajudava (não muito), mas que ela sentia falta de um companheiro que a ajudasse nessa jornada de mãe, dando banho, ficando com o bebê enquanto ela faria algo pra ela como compras ou mesmo um tomando um banho tranquilo, e a amiga virou e disse : - Ah, mas então você não quer um marido, você quer um príncipe encantado, porque homens não ajudam em nada, só atrapalham! E a conclusão dessa conversa foi que ela (a mãe) estaria melhor sozinha que com alguém que só atrapalharia sua vida.


Para mim definição de príncipe encantado é o homem perfeito dos contos de fadas, ou seja, não existem, porém conheço muitos pais "príncipes encantados" que ajudam e muito suas esposas na árdua tarefa materna. 

Meu marido, Flávio, faz tudo, desde dar banho, trocar fraldas, até levantar à noite, e ele trabalha o dia todo e ainda dá aula à noite.
2

Amor é atitude

Assim que engravidei, uma pergunta não cessava em minha cabeça: Será que serei uma boa mãe? Será que poderei dar a ele tudo o que necessita?

Quando o Davi nasceu, algumas vezes ficava bem chateava pois sentia que sempre poderia fazer mais por ele, mesmo eu tendo parado de trabalhar, tendo amamentado por 6 meses exclusivamente e causando muita dor no peito, sem contar os palpiteiros de plantão dizendo o que você deixou de fazer, causando ainda mais angústia.

E ao longo desses meus 4 anos de mãe descobri uma coisa, não existe perfeição na  maternidade! Sempre estaremos aquém daquilo que achamos o correto. Nunca conseguiremos fazer tudo o que desejamos, pois somos humanos.


Porém, assistindo uma aula de Escola Bíblica Dominical, ouvi uma afirmação que mudou meu modo de pensar, fez-me enxergar uma coisa que eu já fazia mas não tinha prestado atenção e isso acabou com todas minhas angústias e dúvidas: AMOR É ATITUDE!
10

Desfralde - sucesso em 8 dias!

Hoje vou escrever sobre o momento que estou passando com o Daniel, meu mais novo de 2 anos e 1 mês, o momento tão problemático para várias mães, o desfralde!


Consegui tirar a fralda dele em 1 semana! Claro que ainda tem escapes (ainda hoje logo que comecei a escrever ele fez xixi e cocô na roupa…), mas isso é normal, com o tempo vão diminuindo até cessarem de vez. O Davi, meu mais velho de 4 anos e 1 mês ainda deixa escapar xixi quando está brincando muito concentrado!


Já tinha passado pelo desfralde com o Davi, mas ele estava na escola período integral então eu não fiz muita coisa (e as que fiz foram erradas…).


Li outro dia num texto onde se podia verficiar se a criança estava ou não pronta para tirar a fralda. 
1

A herança que ninguém pode roubar

Li um post muito interessante sobre qual herança queremos deixar na memória dos nossos filhos. Como queremos ser lembrados, pelos presentes que demos a eles e coisas que tínhamos, o TER, ou pelas brincadeiras, convivência em família, valores e princípios que passamos, o SER. 

Eu e meu marido, como muitos pais, nos preocupamos em dar uma boa educação para os filhos, prover a eles tudo que não tivemos, dar um bom exemplo de conduta,  ensiná-los o que é certo e errado. Mas somos humanos e erramos, sim, erramos e muito, então como ter a certeza que estaremos moldando corretamente o caráter dos nossos filhos?


O maior problema está no SER e não no TER. Como saber se o que estamos passando como SER é realmente o melhor ou correto para eles? Qual referência queremos que eles tenham em suas vidas adultas, qual caminho consideramos o melhor para eles seguirem? Enfim, qual tipo de adulto queremos que nossos filhos sejam?


Eu encontrei essa resposta, e ela é bem simples!
0

Relacionamento Após o Nascimento

Converso com muitas amigas que passaram ou estão passando por crises no casamento depois do nascimento do filho. E coincidentemente num blog que sigo foi escrito um post exatamente sobre esse assunto.


Para minha surpresa, o nascimento do primeiro filho é um problema para muitos casais. Tivemos algumas crises pelo caminho, mas conseguimos superá-las muito bem, então resolvi escrever essa minha experiência. Para mim separação nunca é o melhor caminho.




0

Mães são mais felizes quando as crianças têm 6 meses de idade. Será?

Diariamente recebo e-mails de notícias das revista que falam sobre crianças, e hoje recebi a seguinte notícia: Mães são mais felizes quando as crianças têm 6 meses de idade. Mas será mesmo?

Eles relatam um estudo norueguês, onde entrevistaram várias mães e gestantes e chegaram a essa conclusão. Mas, honestamente, alguma mãe concorda com isso?

Eu discordo totalmente, em gênero, número e grau!!!!!

2

Até que enfim!

Sempre quis ter um blog para poder contar minhas peripécias como mãe, mas nunca tinha tido coragem, tempo, paciência, para criar um. Até que vi quantas mães passam pelas mesmas coisas que eu, alegrias, tristezas, decepções…. E isso através dos seus blogs.

Então criei coragem, pedi ao meu marido (que é consultor de TI) para me ajudar, e até ele disse: -Até que enfim!!!! E aí nasceu o Vida de Mãe!