Páginas

11

Respeito deve vir desde o berço

Estava lendo os posts da Rede Mulher e Mãe da semana passada e me deparei com um post que gostei muito.


O texto discorria sobre respeitar nossos filhos e não tratá-los como "bobões", não infantilizá-los demais pois não é porque são crianças que não entendem o que falamos. E me identifiquei muito com o texto pois desde que o Davi nasceu o trato de maneira respeitosa.


Quando estava grávida comecei a ler aquele livro de "O que Esperar Quando se Está Esperando", a maioria das minhas amigas grávidas leram, então resolvi fazer o mesmo. Mas eu não consegui nem chegar na 10ª semana, pois esse livro só descreve as tragédias que podem acontecer na gestação. E como sou MUITO encanada (pois como disse sou profissional da área da saúde e sou meio desesperada mesmo), parei de lê-lo rapidinho.


Mas queria me inteirar mais dessa minha nova fase de mãe, e pensei que como não tinha a mínima experiência com bebês resolvi que deveria ler mais sobre quando o bebê chegasse (pois por mais legal que fosse a gestação, ela iria ter um fim, mas minha vida de mãe estava só começando) e como sempre gostei do programa e dicas da Tracy Hogg que passavam no Discovery Home and Health, decidi comprar seu livro, para saber mais sobre como cuidar de um bebê.


E lá tive realmente muitas dicas valiosíssimas (que farei um post para cada uma que achei mais interessante). Uma delas foi que devemos sempre respeitar o bebê, pois não é porque ele é só um bebê que não deve ser respeitado, ele, apesar de tão pequeno, já é uma pessoa! Ela mesmo quando ia visitar uma casa, a primeira coisa que fazia era se apresentar para o bebê, dizendo seu nome e o que tinha ido fazer em sua casa.


Achei bem interessante essa afirmação: O bebê, apesar de tão pequeno, também é uma pessoa" e isso não saiu da minha cabeça. Eu e meu marido resolvemos fazer o que ela sugeria.

7

Tudo passa!

Minha sobrinha irá fazer 1 ano daqui a duas semanas, e minha cunhada resolveu fazer festa à moda antiga, ou seja, será no salão do prédio e ela está fazendo tudo! Isso mesmo, desde bolando a decoração, preparando os salgados, lanches e docinhos, fazendo os convites (ela fez um cata-vento de origami lindo)…enfim, tudo mesmo! Apesar do trabalhão ela diz que está curtindo muito, está amando fazer todas as coisinhas para a tão esperada festa de 1 ano da filhinha dela. Eu achei muito bacana da parte dela.

E ela pediu para que eu fizesse a retrospectiva da Letícia, pois fiz a dos meus dois meninos e ela amou (particularmente ficou muito boa mesmo, modéstia parte colocou muitas que vejo por aí no chinelo). E eu gosto muito de mexer com foto e vídeo, então resolvi ajudá-la e fazer a retrospectiva.

No final de semana ela veio aqui em casa, me passou as fotos, discutimos as músicas e como ela gostaria que ficasse. Fechamos a maioria dos detalhes e essa semana estou preparando uma "retrospectiva versão beta" para que ela veja e se aprovada, partirei para a versão final e gravação do DVD.

Para começar a fazer resolvi rever as retrospectivas dos meus meninos, para relembrar como fiz algumas coisas. Mas tive que rever mais de uma vez, pois quase sempre que as assisto fico com nó na garganta… e desta vez não foi diferente.

Ficava olhando as fotos dos meus meninos bebês, o quanto eles cresceram e se desenvolveram em 1 ano e de lá até agora. Como o tempo passa rápido! E não é só o tempo não.

12

A escolha do pediatra: como escolher o melhor para seu filho?

A escolha do pediatra é uma das mais importantes que você fará nos primeiros meses de vida do seu filho, ou em alguns casos até mesmo antes dele nascer.

Mas porque essa escolha é tão importante? Pois o pediatra é o profissional que irá acompanhar todo o desenvolvimento físico (e também emocional) do seu filho em toda a infância, é a pessoa em quem você tem que confiar a vida do seu filho por assim dizer, pois é ele que irá dizer se está tudo bem com ele ou não, claro que temos nossa "intuição de mãe", mas é o pediatra que vai nos dizer se nosso medo (ou intuição) procede ou não.

É também para ele que corremos quando temos dúvidas ou quando algo não anda bem com nossos filhos, sei que nossas mães, amigas e familiares que já tenham filhos nos auxiliam bastante, mas algumas vezes essas "opiniões e conselhos" são tão controversos que você precisa de uma opinião neutra.

Mas como escolher esse profissional dentre tantos que existe hoje? Se abrirmos nosso manual do plano de saúde, pelo menos 3 páginas são só de pediatras!
3

Vamos ensinar solidariedade para nossos filhos?

Esse foi para mim um carnaval diferente. Nunca gostei mesmo de carnaval, então sempre optamos por viajar ou fazer programas não relacionados com a data em questão. Como este ano compramos nossa casa, por questões financeiras resolvemos ficar em São Paulo, que por sinal fica uma delícia vazia.

Passeamos com os meninos, fizemos churrasco, fomos ao Ibirapuera, mas o que realmente me marcou nesse carnaval foi uma história muito tocante, que conheci pelo twiter e acabei chegando ao blog da .

Passei o carnaval (ou os momentos que meus meninos iam dormir) lendo esse blog, com ele eu ri, chorei, me emocionei…e também me fez pensar e muito sobre minha vida de mãe.