Páginas

27

Colocar ou não na escola, eis a questão

Esses dias li uma reportagem que discorria sobre qual melhor idade para colocar a criança na escola. Após tê-la lido coloquei um comentário no twiter (um pouco exagerado confesso) o qual gerou um debate sobre esse assunto (não digo discussão pois todas as twitmães que estavam participando respeitaram as opiniões alheias, e isso é o que foi mais legal). 


Pensando nisso resolvi escrever nesse post minha experiência e opinião sobre o assunto.


A reportagem era uma entrevista com um psicólogo britânico onde ele afirma que colocar uma criança antes dos 3 anos na escola é um erro imenso! Que tudo que um bebê precisa é ser amado e ter a atenção dos pais. E claro isso mina qualquer possibilidade da mãe trabalhar.
Antes de engravidar eu optei por parar de trabalhar para poder ficar em casa com meus filhos. Foi uma decisão minha que tomei junto com meu marido, que também gostou da idéia (não julgo quem faz diferente, só estou dizendo que para mim isso foi o melhor). Tive muitos motivos para isso, mas os principais foram a bíblia e minha profissão, pois trabalhava em medicina diagnostica e podia me contaminar com material biológico.


Com o Davi, minha intenção era colocá-lo na escola com 3 anos, isso porque não tinha a intenção de voltar a trabalhar e foi a idade que eu fui para escola então me pareceu uma idade boa para isso, mas quando ele estava com 1 ano e 3 meses eu engravidei novamente, e aí veio o dilema, vou matricula-lo já na escola ou contrato alguém para me ajudar?


Na verdade essa decisão nem foi muito discutida, pois eu não conseguiria ter uma babá por duas razões, não tínhamos condições financeiras para isso e eu amo cuidar dos meus filhos, não queria dividir esse privilégio com ninguém. E também sou uma pessoa bem chata em relação à meus meninos, duvido que eu encontraria alguém que eu realmente gostasse e confiasse (sabemos que hoje em dia até a pessoa em quem confiamos pode nos surpreender negativamente). Portanto iríamos colocar o Davi em uma escola.


Mas não foi de imediato, pesquisei muito todas as escolas do bairro e região, conversei com uma amiga que era coordenadora de escola infantil na época, e é claro que sempre levava minha mãe à tiracolo, pois ela é pedagoga e também me orientou bastante nisso.


Encontrada a escola, ficou a pergunta, quando iríamos matricula-lo, naquele momento (na época o Davi estava com 1 ano e 5 meses) ou só quando o Daniel chegasse? Depois de conversarmos muito, eu e meu marido tomamos a decisão de que ele iria para escola em agosto, pois eu teria tempo para fazer toda a adaptação necessária e quando o Daniel nascesse ele já estaria acostumado com a escola, não veria a escola como um lugar onde o abandonamos depois da chegada do irmão.


E chegando agosto ele foi à escola, o Davi estava com 1 ano e 8 meses. Posso dizer que a adaptação foi mais para mim que para ele, era a primeira vez que me separava dele (a ansiedade da separação foi minha). Ele ficou ótimo, claro que logo na primeira semana ficou doente e precisou (pela primeira vez) tomar antibiótico, mas isso já era esperado pois ele quase não tinha contato com outras crianças.


Como a experiência não foi ruim, quando o Daniel completou 1 ano resolvi que era hora de eu voltar para o mercado de trabalho, fui fazer mestrado e matriculei o Daniel na escola. Também fiz adaptação com ele e foi até mais fácil pois o irmão estudava lá e ele se sentia seguro.


Mas depois de 1 mês na escola o Daniel ficou doente, ficou internado (foi aquela pneumonia que já relatei antes nesse post) e meu mundo quase desabou.


Depois que ele melhorou, acabei ficando meio que traumatizada com tudo que tínhamos passado, achando que era minha culpa. Então resolvi sair do mestrado e recolocá-lo na escola mais tarde.


Hoje os dois estão na escola e amam. O Davi, agora com 4 anos e 3 meses, se orgulha das coisas que aprende, e o Daniel com apenas 2 anos e 3 meses já leva sua mochila sozinho até a sala e nem olha para trás, só vai querer saber de mim na hora da saída.


Aprendi com tudo isso que a escola é muito boa sim, muito melhor que babá na minha opinião, mas precisa ser na idade certa. 


Acredito que não somente com 3 anos como disse o psicólogo na entrevista, mas creio que por volta dos 2 anos eles estarão prontos para a escola, pois já entendem e conhecem nosso amor por eles e não sentirão que estamos abandonando-os, como diz na reportagem. Meus filhos aprenderam muitas coisas na escola nesse período que eu não seria capaz de ensiná-los da mesma forma.  


Sei que muitas mães precisam voltar a  trabalhar (seja pelo dinheiro ou por satisfação pessoal), se isso acontecer logo após a licença maternidade, dê preferência para deixar seu filho com algum parente ou conhecido que tenha essa disponibilidade (mãe, sogra, cunhada, tia…), mas se não tiver (como era meu caso se eu precisasse voltar) considere qual a melhor alternativa, se babá ou escola, para mim foi a escola, mas essa decisão é muito individual, pois como sempre digo, só a própria mãe sabe o que é melhor para seu filho. 


E vocês o que acham? Colocaram seus filhos antes de 1 ou 2 anos na escola? Contrataram babá?

27 comentários: