Páginas

0

Especial para o feriado


 “Ele (Jesus) foi oprimido, mas não abriu a boca; como um cordeiro, foi levado ao matadouro e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, Ele não abriu a boca.” Is 53:7


A primeira Páscoa aconteceu lá no Antigo Testamento (Êxodo 12), quando Deus mandou Moisés tirar o seu povo do Egito, pois estavam lá como escravos, e Deus queria que eles voltassem a ser livres.

Antes do povo hebreu partir, cada família deveria preparar em casa a última refeição antes da longa viagem que fariam pelo deserto.

Prepararam um cordeiro assado, pães asmos (sem fermento, para lembrar que saíram com pressa do Egito) e ervas amargas (para lembrar do sofrimento do povo no deserto, rumo à Terra Prometida).

Todas as casas deveriam passar o sangue do cordeiro nos umbrais das portas, como sinal da submissão a Deus e também para preservar a vida. Esta Páscoa, para os hebreus, representou um tempo de esperança e libertação, a passagem pelo deserto para chegar a um lugar preparado por Deus, muito melhor de se viver.
Essa tradição foi mantida pelo povo de Deus, os judeus, ao longo dos anos e das gerações. O ritual era repetido para lembrar que Deus libertou e caminhou com o povo de Israel.

E Deus deseja nos libertar mais uma vez. Deseja se relacionar conosco e nos amar. Como prova desse amor, Deus mandou seu Filho Jesus para nos salvar e dar vida eterna. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” Jo 3:16

Antes da sua morte, Jesus celebrou a última Páscoa com seus discípulos (Lucas 22.7-20), instituindo a Santa Ceia - que é celebrada por nós cristãos até hoje. Naquele momento, Jesus estava dizendo que se entregaria em nosso lugar, para que vivêssemos com Ele. Cristo morreu em nosso lugar, na cruz, nos libertando e nos perdoando de todos os nossos pecados.

Mas depois de três dias, Jesus ressuscitou! Jesus deixou o túmulo e voltou a viver. Ele foi para junto do Pai, e hoje está vivo sentado na destra do Pai nos céus.

E é isso que devemos comemorar, temos um Deus vivo, Jesus, que nos ama muito e está de braços abertos para nos receber.

Desejamos que sua páscoa seja de libertação e ressureição para uma nova vida, em Cristo Jesus, nosso cordeiro pascal, o único que merece toda honra e glória!

Família Furlan – Abril de 2011

0 comentários: