Páginas

13

Como fiz meus filhos dormirem a noite toda

Já escrevi aqui como sofro na hora da alimentação dos meninos. Pois eles são extremamente chatos para comer, não comem nada verde, nem amarelo, nem vermelho, nem nada! Só querem saber da minha comida ou a da minha mãe. 

Mas como nem tudo são trevas, meus filhos podem não comer direito, mas em compensação dormem a noite toda (de 10 a 12 horas por noite direto!) e ainda por cima preferem a cama deles para dormir.

Não, isso não é mentira. Ouvi uma vez a Monica Brandão do Comer para crescer dizendo que sempre desconfiava de mães que diziam que seus filhos comiam de tudo e dormiam a noite toda. Bom, como disse meus filhos não são muito chegados à comida, mas à noite, sei que meus filhos são desejados e invejados por muitas mães.


Mas isso não é só por eles, sem falsa modéstia digo que isso se deve em grande parte por minha causa e meu marido que juntos trabalhamos arduamente para que isso acontecesse, isso porque os meus dois meninos dormem muito bem, se fosse só um diria que seria mérito dele, mas os dois dormem sozinhos e em suas próprias camas .

Vou contar como consegui isso e quem sabe ajudar outras mães à não se desesperarem e acharem que nunca mais terão uma noite de sono tranquila na vida.

Acho que o grande segredo e aliado à uma boa noite de sono é a rotina, não só a da hora de dormir, mas rotina durante o dia também. E isso não é só um clichê de propaganda de produtos infantis, a rotina não só funciona como acho primordial para ter uma criança calma e feliz.

Quando chega ao mundo, o bebê não tem idéia do que está acontecendo, só sabe que saiu de um lugar quentinho e confortável  para um lugar onde a temperatura está sempre mudando, a estão manipulando constantemente (para troca de fralda, roupas, banho…) e sente fome. Para esse bebê o mundo fora do útero é muito estressante, então temos que tentar mostrar à ele que nem tudo é caos aqui fora. Como? Com uma rotina estruturada, pois assim ele saberá o que vai acontecer a seguir e conseguirá se manter mais calmo (ou menos estressado, depende do tipo de bebê que você tem…) durante o dia. E se o dia dele for mais calmo, a tendência é que ele consiga descansar e relaxar mais à noite. Isso acontece inclusive conosco, quando passamos um dia ruim, à noite não se torna mais agitada e parece que nem descansamos? Pois é, imagine isso todos os dias em um bebê pequeno…

Desde que vieram da maternidade os coloquei para dormir em seus próprios berços pois como não tinham parâmetro de nada, já se acostumariam ali. E os colocava para dormir no berço tanto nas sonecas do dia quanto à noite, mas a diferença é que durante o dia deixávamos as janelas abertas, a porta aberta, televisão ligada e conversávamos em volume normal. Fazíamos isso para mostrar à eles que a casa estava "rodando", era dia. À noite, por volta de umas 19 horas fechávamos as janelas, dávamos um banho bem gostoso e calmo, colocávamos o pijama, eu o amamentava, deixava-o bem calmo e confortável e o punha no berço dizendo que era hora de dormir (por volta das 20 horas).

Se eu disser que eles ficavam sempre e de primeira estou mentindo, muitas (na maioria das) vezes eles choravam, mas acho que é aí que está minha (e do meu marido) determinação. Usamos duas técnicas para acalmar nossos filhos, a primeira é para quando eles são bem pequenos (até uns 3-4 meses) e o segundo é para ser usada se a primeira não funcionar, mas só depois dos 4 meses.

Esses métodos são da Tracy Hogg, descritos nos seu dois livros  A Encantadora de Bebês, o qual eu aconselho à todas as mães de primeira viajem a ler pois são realmente muito bons e dão uma ótima base para quem não entende nada de como cuidar de um bebê.

A primeira era, depois de colocá-los no berço, ficar sussurrando "shu…shu…shu" perto deles, dando tapinhas bem leves (com a mão em formato de concha) nas costas/bumbum e se precisasse cobria os olhos dele para evitar estimulação visual. Isso funciona muito bem, pois eles se concentravam no meu som e conseguiam adormecer. Mas isso pode durar horas! Por isso digo que deve se ter determinação, não desistíamos, não pegávamos no colo para os ninar. Com essa técnica, meus filhos (os dois foram assim) com apenas 16 dias de vida já eram capazes de adormecerem sozinhos no berço. Eles acordavam por volta da meia-noite para mamar e só acordavam depois às 5:30/6 horas da manhã novamente.

Mas claro que nenhuma criança é um reloginho. Algumas noites eles acordavam e ficavam agitados sem motivo aparente (não estou contando às noites doentes),e em todas as vezes fazíamos da mesma forma, sussurrávamos e dávamos os tapinhas leves e ficávamos ali até eles se acalmarem para adormecer.

A partir dos 4 meses eu usava também (junto com o primeiro) o segundo método: pick-up/pick-down (P.U/P.D. que em português significa pegar no colo e colocar no berço). Esse método é uma ferramenta, onde eu ensinava meus filhos que eles não dependiam de nada (nenhum objeto) nem de ninguém para dormir e ao mesmo tempo mostrava que eles não estavam abandonados, eu estava ali presente caso eles precisassem.

Consiste em pegá-lo no colo para o acalmar e assim que para de chorar o recoloca no berço (no mesmo instante). Falando assim parece fácil, mas isso exige muito esforço principalmente se for uma criança mais velha acostumada a acordar muito à noite. O problema é que é necessário fazer esse P.U/P.D até a criança adormecer! E isso também pode levar horas também! E aí entra a determinação novamente.

Particularmente eu usei o P.U/P.D poucas vezes, por eles já estarem acostumados à dormirem sozinhos, mas sei que essas poucas vezes foram essenciais, pois tenho certeza de que se nessas vezes eu os tivesse feito adormecer no meu colo, tudo o que tinha feito desde o começo iria por água abaixo. Porque é muito fácil nos acostumarmos com coisa boa, e com nossos filhos não é diferente! E também com esse método consegui tirar a chupeta do Daniel (o mais novo) com 3 meses e meio.

Digo novamente, tudo isso parece fácil, mas não é. Precisa de muita força de vontade e ajuda do seu marido ou de quem ajuda no cuidado do bebê, pois eu mesma perdi a paciência várias vezes, e aí meu marido assumia e juntos conseguíamos atingir nosso objetivo. Foi muito difícil, mas hoje olhando para trás vejo que tudo isso valeu a pena. 

Às vezes estamos todos na minha cama e quando estão com sono me pedem para eu os levar para dormir em suas camas, lá eu leio uma história, dou um beijo de boa noite e lá ficam até o dia seguinte.

E você, teve (ou tem) problemas para seus filhos dormirem à noite? Usou outro método que funcionou? Conte-me para podermos trocar experiências!

13 comentários: