Páginas

12

Desabafo...

Faz um tempinho que não escrevo, isso porque minhas últimas semanas foram bem agitadas, estava entre consultas médicas e exames da terceira gravidez, cuidando do Davi com infecção viral (depois escrevo sobre minha saga) e por fim viagem de férias em família, que foram muito boas.

Agora estou de volta com força total, e espero colocar todos os assuntos que tenho em mente em dia aqui no blog.

Eu tive várias idéias de posts, mas aconteceu uma coisa que me deixou extremamente irritada e tive que desabafar com vocês, pois talvez assim me acalme e não saia por aí fazendo besteira (fazer besteira é ligar para alguns familiares e dizer certas verdades que fariam nunca mais nos falarmos, como sei que isso não é certo, desabafo aqui e me acalmo com vocês).

Primeiramente vou explicar o que ocasionou o problema.


O Daniel, meu filho mais novo (por enquanto, que será promovido à do meio daqui à 7 meses) tem exatamente 2 anos e 9 meses, porém ele ainda não fala muita coisa. Quer dizer, ele fala mas do jeito dele, só fala as duas últimas sílabas das palavras e forma frases de no máximo 3 palavras.

O Davi também demorou para falar mas nem tanto, ele foi falar mesmo com 2 anos e meio, questionei a pediatra sobre esse "atraso" na fala dele, então na consulta de 2 anos e meio do Daniel ela fez vários testes e o principal foi, ela fazia várias perguntas à ele para ver se ele compreendia as coisas (coisa que ele faz e muito bem), mas na hora de responder quem respondia era o Davi, nem dando chance para o irmão abrir a boca. Conclusão da pediatra: -"Você está vendo porque o Daniel não fala? Ele não precisa, o irmão fala por ele!" Ela concluiu que ele é perfeitamente normal, só tem mesmo preguiça de falar, então só deveríamos incentivá-lo.

Desde então não me preocupo com isso pois ele realmente entende tudo que falamos e cumpre muito bem as ordens que lhe damos (claro que quando quer pois ainda está na fase do terrible two).

Pausa: - Eu sou da área da saúde, e como disse antes em vários posts sou realmente muito chata em relação à saúde e escolha dos médicos que passo, e por isso tenho total confiança em todos que frequento (isso inclui meu GO e a pediatra dos meninos). Despausa.

Então…

Minha sogra e minha cunhada acabaram de voltar do Canadá pois estavam visitando meus dois cunhados que moram lá. E ontem ligamos para ver se tinham feito boa viagem e se foi tudo bem (já que minha sobrinha de 1 ano e meio estava junto e viajar 11 horas com um bebê não deve ser fácil), nessa ligação minha sogra avisa que um dos irmãos do Flávio queria falar com ele, não demos muita importância achando que era só saudades ou coisa parecida.

Quando foi hoje ele liga para saber o que esse irmão dele queria tanto falar com ele. E aí é que vem, esse irmão do Flávio está no segundo ano de neurologia lá no Canadá, e começou a questionar se o Daniel não teria nenhum problema neurológico, já que está com a fala "muito atrasada", como ele também teve refluxo (coisa que já não tem mais, regrediu totalmente aos 2 anos) ele muito provavelmente tem algum problema neurológico e disse para eu procurar outro pediatra ou até mesmo um neuropediatra, pois esse problema pode se agravar e quanto mais cedo o tratamento maior a probabilidade de cura, e bla, bla, bla…que todos estão preocupados com a saúde do Daniel, que só querem ajudar...

EU FICO MUITO IRRITADA QUANDO SE METEM NA EDUCAÇÃO DOS MEUS FILHOS, AGORA ACHAR QUE ESTOU SENDO RELAPSA NA SAÚDE DELES EU NUNCA VOU ADMITIR!!!!!

Todos meus sobrinhos e cunhados tem problemas (no meu ponto de vista), um não dormia até os 6 anos de idade (também a mãe dormia no quarto do menino desde que nasceu e depois ficava reclamando), a outra, a menina não pode encostar na mesa que a minha cunhada corre para o hospital fazer tomografia (colocando a menina em risco de infecção, expondo-a a uma carga gigantesca e desnecessária de radiação e anestésico)… enfim, são modos de cuidar que cada um sabe o que é melhor, e eu não me meto pois Deus deu cada filho para um casal de pais específicos, e não para a família inteira…

Ninguém nunca veio me perguntar nada se eu já tinha perguntado para a pediatra se ele tinha ou não um atraso na fala. Sempre brinquei que minha sobrinha, 1 ano mais nova, ia falar antes que o Daniel, então eu supus que como eu estava sempre brincando eles sabiam que eu estava tranquila e que estava tudo bem. Mas não, eles se desesperaram achando que eu sou uma imbecil que não sei cuidar do meu filho e que não tinha visto que ele "tem um problema neurológico".

Agora me diz, quem sabe mais do meu filho, eu e a pediatra que o acompanha desde o dia de seu nascimento, ou um cunhado que mora à mais de 8.000 km de distância e só viu o Daniel uma vez quando tinha 1 ano, uma sogra e uma cunhada que amam simplesmente supor as coisas e tomar como verdade absoluta? Acho que nem preciso responder…

Enfim, estou muito irritada e chateada, pois eu não me meto na educação e cuidado de ninguém com seus filhos, a não ser que peçam minha opinião/sugestão, e por isso não admito que fiquem falando do modo como cuido dos meninos ou mesmo venham a me questionar se eu não percebi o "problema que meu filho tem"?

É claro que eu conheço meus filhos, é claro que me preocupo com eles, e se eu achasse necessário uma "segunda opinião" de outro pediatra eu já teria feito isso a muito tempo. Mas confio totalmente na minha pediatra. Ou eles acham que uma pessoa que nunca viu meus filhos vai saber mais da saúde deles que a pediatra que os acompanha?

Fico muito chateada (digo novamente) pois é sempre assim, eles vêm, falam um monte de besteiras, fico com vontade de mandar catar coquinho, brigo, mas não adianta, daqui um tempo vão achar outra coisa para infernizar minha vida.

Não sei se estou sendo muito radical com eles, (pois admito que os hormônios da gravidez me deixam sem muita paciência), mas uma coisa é certa, esses meus cunhados e sogros nunca vêm perguntar na paz o que está acontecendo, já vem acusando e sugerindo (coisas absurdas) e ficam ofendidíssimos quando eu não aceito a opinião deles. Mesmo o Flávio dizendo o que a pediatra disse, meu cunhado questionou a credibilidade da minha pediatra (sem conhecê-la) e "sugeriu" que eu consultasse outro…

Sei que foi um desabafo longo, mas essa história ainda vai me render um bom tempo de apurrinhações, discussões e brigas em família…então falar aqui com vocês me ajuda a acalmar um pouco.

E vocês acham que eu devo mesmo procurar outro pediatra? Alguma de vocês o filho também demorou para falar somente por preguiça? 

12 comentários: