Páginas

11

Uma declaração de amor


Olha que lindo que meu marido escreveu…Não é uma declaração de amor? 


Imagem daqui


Qual é o meu sonho?

Flávio Furlan
Outro dia fui correr no Parque do Ibirapuera em São Paulo. Gosto muito de correr lá, pois gosto de sentir a vibe do pessoal correndo e isso me dá ainda mais ânimo para correr cada vez mais.

É legal ver o desfile de tipos que aparecem por lá, skatistas, corredores, senhores e senhoras caminhando, pessoal jogando bola, vôlei e basquete (a galera do boxe e kung fu são os que mais acho legal). Tudo isso ajuda a distrair e assim fica mais fácil fazer a corrida mais longa da semana.

Um desses tipos usava uma camisa com a seguinte pergunta em letras garrafais:

QUAL O SEU SONHO?

Nos infinitos pensamentos que passavam pela minha cabeça, comecei a pensar qual seria o meu sonho. Qual o meu sonho? Muita coisa passou pela minha cabeça, a maior parte delas eram coisas relacionadas a bens materiais como quitar a minha casa, carro novo, relógio, moto e outras coisas. Mas isso não deveria ser um sonho, afinal não considero que bens materiais e dinheiro me fariam felizes. 

Então parti para coisas não materiais. A primeira delas foi meu novo objetivo de vida, correr uma maratona. Eu já expliquei em um post que isso tem haver com ter uma vida mais saudável, trabalhar focado em um objetivo realmente desafiador etc.

Duas palavras acima me chamaram a atenção, "feliz" e "objetivo". 

Ter um objetivo não é um sonho. Um sonho deveria ser uma coisa que ao ser alcançado mudaria sua vida e que deixaria você feliz e realizado. Quando eu correr uma maratona tenho certeza que ficarei muito feliz, mas isso será passageiro, pois depois de um tempo eu já teria outro objetivo desafiador, o que na verdade eu já tenho.

Então ser feliz poderia ser um sonho a considerar. Foi a aí que cheguei a conclusão, eu não tenho nenhum sonho, pois já sou feliz.

Pareceu até arrogante eu fazer essa afirmação, eu já sou feliz, mas é verdade.

Continuando minha corrida eu comecei a pensar na família e em todas as coisas que eu tenho. E cada coisa que eu ia pensando, mais e mais eu ia me convencendo que sim, eu já sou feliz!

Seria a endorfina da corrida? Pode ser, mas esse pensamento já vem permeando minha cabeça há muito tempo. Hoje eu tenho a minha vida encaminhada. Minha filha está há dias do seu nascimento e as expectativas estão altíssimas.

O fato deu já ter minha vida definida significa que sei que irei cuidar da minha família, criar e educar meus filhos e viver com a mulher que eu amo até eu morrer. Isso pode não parecer grandioso para o mundo, mas isso é o que realmente importa no final das contas.

Sabe porque o Steve Jobs contratou um dos maiores escritores de biografia? Para deixar a sua história contata para seus filhos, pois ele estava muito ocupado criando uma das empresas de tecnologia mais admirada e odiada de todos os tempos. Isso para mim pareceu muito triste.

Por isso, meu sonho sempre foi ter uma vida resolvida e isso eu já consegui, graças a minha família.

Por isso eu ostento a minha família, pois ela é uma das grandes responsáveis por eu estar tão feliz. Pouco importa qual o meu carro, casa ou qualquer outro bem material. Eu quero estar com a minha família, crescer com ela e abençoa-los e amá-los de todo o meu coração, com todas as minhas forças.

Por isso quero agradecer a todos da minha família, por me fazer um homem plenamente feliz.

Eu fiquei emocionada e muito feliz por ouvir isso do meu marido. Saber que a família e a parte mais importante da vida dele é muito bom, pois quem o conhecia antes de nos casarmos nunca imaginaria ele assim (pois ele era um workaholic nato).

E e isso que faz a minha vida muito feliz.

11 comentários: