Páginas

7

Minha vida de mãe de três

Ainda tenho muito que aprender sendo mãe de três. No post anterior achei que como a vida estava voltando ao normal, entrando na rotina novamente teria mais tempo aqui. Doce ilusão! Mal terminei o post, já tinha uma menininha ficando doente, outro com um monte de lição, outro menino também adoecendo, tive que mandar minha empregada embora…enfim minha vida virou novamente de pernas para o ar.


Mas desistir jamais! E cá estou eu escrevendo enquanto minha pequena dorme e meus meninos estão na escola.


E é exatamente sobre isso que resolvi escrever hoje, de como está sendo essa tão sonhada vida de mãe de três.


Eu nasci como mãe em 2006, quando meu primeiro filho nasceu. Logo depois em 2008 nascia meu segundo meninão e então em 2012 nascia minha princesinha completando minha linda e amada família que tanto desejei.

Ser mãe de três não está sendo fácil pois sempre tem alguém requisitando minha atenção. Seja porque quer mamar, quer que eu brinque junto, ou está com fome ou precisa que eu o auxilie no banheiro. Não sobra nenhum tempinho para eu poder fazer qualquer coisa que não seja relacionado com crianças. Eu almoço depois que os meninos vão à escola, arrumo a casa, lavo roupa, louça,  janto só depois que meu marido chega, e banho então só depois que eles vão para cama. É bem corrido e quando vejo meu dia acabou e tudo que quero é minha cama.

Entretanto, apesar de tudo isso, digo que ser mãe de três foi a melhor coisa que me aconteceu. É maravilhoso!

A cada filho que nascia o amor que sentia por eles aumentava. Quando se tem mais de um filho pode-se perceber que amor de mãe não se divide, se multiplica. Quando a caçula nasceu, meu amor pelos meninos aumentou ainda mais (mesmo eu achando isso impossível) pois vejo como são carinhosos com a irmã, como cuidam e zelam por ela, mesmo sendo tão pequenos.

Com o nascimento da Sara aprendi muito além do que podia imaginar. Aprendi a aproveitar mais meu tempo, pois ele anda tão escasso que qualquer 5 minutos para mim é uma festa. Aprendi a deixar mais as coisas pra lá, pois se eu for me preocupar com cada probleminha que aparecer eu não vivo.

Com o terceiro filho, aprendi também a ter mais paciência. Sei que se eu passar uma noite em claro com ela chorando por qualquer motivo, na noite seguinte poderá ser diferente, tudo passa e isso me deixa mais calma para lidar com qualquer tipo de problema que possa aparecer. 

No primeiro filho eu achei que nunca mais dormiria uma noite inteira, nunca mais sairia sozinha com meu marido, nunca mais teria uma vida normal. Porém tudo isso passa, e para minha surpresa está passando muito mais rápido que eu poderia imaginar. E por isso eu estou curtindo muito mais minha Sara, cada dobrinha, o cheirinho de bebê,  cada coisinha nova que ela faz. No Davi eu me preocupava demais, e não curti tudo que poderia, agora estou tirando o atraso!


Quem é mãe sabe que tudo passa, as coisas ruins passarão, mas as boas também. Meus meninos não tem mais aquele cheirinho delicioso de bebê, minha caçulinha já não tem mais aquele jeitinho de recém nascida, já está cheia de dobrinhas, e daqui um pouquinho fará 6 meses e acabará o aleitamento exclusivo (que pratiquei com os outros dois). Tudo passa, mas a cada dia percebo que novas fases chegam e outras coisas boas e também ruins vem, e será assim até eles crescerem e não dependerem mais de mim.

Estou cansada sim, mas sei que ter três filhos foi a melhor coisa que me aconteceu, pois me tornei uma mulher melhor, descobri coisas em mim que não seria possível com (somente) dois filhos.

Quanto ao cansaço...bom, quando eles crescerem eu descanço, e faço tudo que estou deixando de fazer hoje, mas com a sensação de felicidade e orgulho por ter criado três filhos. E isso não tem preço. Para mim isso é ter sucesso.

7 comentários: