Páginas

2

BC - Mamãe está de olho!!!

Pegando carona na blogagem coletiva que a Isabella Kanupp propôs, hoje vou falar sobre alimentação.


Assisti uns dias atrás o filme Muito além do peso, e recomendo que todas as mães assitam também, é realmente chocante algumas cenas com crianças pequenas portadoras de diabetes tipo 2, obesidade mórbida e outras doenças até então só encontrada em adultos.

Porém o que vou escrever não agradará a muitos, pois discutindo pelas redes sociais vi que minha opinião é diferente de muitas mães por aí.
O filme fala sobre como as crianças de hoje estão comendo porcarias e adoecendo de diabetes, pressão alta, obesidade, mas o filme atribui a culpa às grandes empresas que produzem e vendes esses alimentos os vinculando aos personagens queridos e vendas de brinquedos.

O que na minha opinião não poderia estar mais errado! Isso porque a alimentação da criança é de inteira responsabilidade dos pais.

Quem compra esses alimentos e põe no armário de casa são os pais. A criança pode até pedir (até mesmo insistir bastante) na compra de um ou outro alimento, mas daí efetivamente pegá-lo da prateleira do supermercado, ir até o caixa e pagar para levar para casa quem faz? Os pais.

Concordo que a propaganda desse tipo de alimento é exagerada e voltada para a criança, mas se os pais disserem não, aquele alimento não entrará na vida da criança.

Aqui em casa sou eu quem cuida integralmente da alimentação da família. Sou eu quem vou no supermercado fazer as compras e cozinho os alimentos para as refeições. Pois acho importante demais para tercerizar essa tarefa (tudo bem que eu fico em casa em tempo integral, sei que seria mais difícil se eu trabalhasse fora).

Então quando vou às compras sempre dou preferência aos alimentos mais saudáveis, aos vegetais orgânicos (mas nem sempre pois algumas vezes custam o dobro do normal, aí compro o não orgânico mesmo), alimentos integrais e guloseimas nunca entram no meu carrinho de compras.

Eu escolho o que eles vão comer. Aqui em casa não tem bala, doces, bolachas recheadas, sucos artificiais nem nada desse monte de porcaria que tem por aí. E não é por falta de meus filhos pedirem não, muitas vezes eles veem os coleguinhas da escola levando  porcarias de lanche e me pedem para comprar. E o que eu faço? Digo não, e explico que aquilo vai ser ruim para o corpinho deles. Eles entendem? Não sei, algumas vezes reclamam, pedem novamente, mas eu sou firme, não compro e acabou.

De vez em quando eles comem sim essas coisas horrendas, principalmente na casa da avó (pois ainda não consegui fazer minha sogra parar de dar essas besteiras para eles sem decretar a terceira guerra mundial), mas eu fico tranquila, pois são dias determinados e espaçados. 

Uma coisa que ouvi no filme e nunca tinha pensado é que uma cozinheira fala que a educação alimentar deveria ser mais importante que os ensinos de português e matemática, isso porque nós não lemos todos os momentos, nem fazemos contas todos os dias, a única coisa que fazemos repetidamente todos os dias é nos alimentar. É para pararmos para pensar e avaliarmos onde está nossa preocupação.

Quando escolhi a escolinha dos meninos, claro que eu olhei a metodologia de ensino e se iam só ficar brincando, mas o que mais me chamou a atenção na escola é que eles são totalmente voltados para a alimentação saudável. Tem uma nutricionista em tempo integral, é proibida a entrada de refrigerantes e frituras na escola (não pode levar essas coisas de lanche) e o melhor, não tem cantina. Toda a alimentação é preparada da forma mais saudável possível, com sucos naturais e a criança não tem opção de comprar nada, se nós pais quisermos pagamos o lanche da escola, mas a criança não tem escolha.

Algumas crianças ainda levam coisas não saudáveis, mas a própria escola chama atenção desses pais para que isso não ocorra.

Sou daquelas mães chatas, que dou almoço (ou janta) para os meninos antes de qualquer festa, a comida no prato eu que escolho e tem que comer o que eu coloco (eles não escolhem) e guloseimas só em ocasiões específicas e controladas. O resultado disso são crianças extremamente saudáveis, dentro do padrão normal de peso e mega ativas, amam correr, brincar e se exercitar.

Ainda acho que poderia fazer mais, pois uso panela de pressão e micro-ondas para cozinhar, cozinho os alimentos para mais de um dia, de lanche uso suco de caixinha (mas somente os de soja e o suco de maçã da yakult, que é um dos únicos realmente naturais) mas são coisas secundárias, que ainda há controvérsia no real malefício, então vou sim usando dessas facilidades no meu dia-a-dia. O principal eu faço sim, que é escolher minuciosamente tudo que meus filhos comem da maneira mais saudável que o meu tempo permite.

Por isso, quando vejo um filme desse culpando as empresas, penso que tem alguma coisa errada, no filme eu não vi nenhum dono dessas empresas apontando uma arma para ninguém os obrigando a comprar esse tipo de alimento.

Como disse acima, concordo que a propaganda é sim abusiva e deveriam ter normas para regulá-las, mas enquanto isso não acontece, cabe a nós pais olharmos e zelarmos pela saúde dos nossos filhos, então é só não comprar. Resista aos pedidos e choros dos filhos, pois futuramente eles lhe agradecerão pelo que fizeram.

Aqui a mamãe está sempre de olho na alimentação das crianças e de todos da casa e sugiro que façam o mesmo, para garantir um futuro saudável para eles.

E como é aí na casa de vocês?

2 comentários: