Páginas

5

A escolha da escola, uma decisão nada fácil


Meus filhos foram para a escola cedo, quero dizer, mais cedo que eu planejava. Como já tinha escrito aqui acho que a melhor idade ara entrar na escola é depois de 2 ou 3 anos, mas o Davi acabou indo com 1 ano e 8 meses (pois o Daniel estava para nascer) e o Daniel foi para a escola com 1 ano e 1 mês (pois ia voltar para a faculdade para terminar meu mestrado, o que acabou não acontecendo, mas isso eu conto depois).
Imagem daqui

E nessa minha "longa" vida de mãe (já são 6 anos) uma das escolhas mais difíceis que tive foi a da escola que o Davi iria frequentar.

Até o Davi completar 1 ano e meio nunca havia me preocupado com nada que se relacionava com escola, mas naquele momento eu me via grávida do segundo filho e precisava de uma ajuda para cuidar dos 2, foi aí então que decidimos procurar uma escola para o Davi, e lá ele ficaria meio período.

A primeira coisa que fiz foi conversar com algumas amigas e com minha mãe, que são pedagogas, para começar a entender todo o processo escolar da visão da mãe, e não mais como estudante. Percebi que tinha muito mais para eu entender do que imaginava. 

Primeiro fui aprender sobre as metodologias pedagógicas e quais delas o perfil da nossa família se encaixaria, pois não adianta você colocar seu filho em uma escola linda, maravilhosa e mega badalada se a filosofia dela não tem nada a ver com a sua família.

As linhas pedagógicas mais usadas nas escolas aqui em São Paulo são (digo São Paulo pois é onde moro e onde procurei, não sei se é assim também em outros lugares): construtivista, montessoriana, waldorf e tradicional e aqui (LINK) explico melhor cada uma delas.

Vi que tinha gostado bastante da construtivista, porém como falei no outro post é muito difícil achar uma escola construtivista pura, o que achei foi uma que mesclava o construtivismo com a tradicional.

Escolhida a linha pedagógica, listei várias "exigências" (que eu julgo muito importantes) que a escola deveria ter para eu a considerasse perfeita para matricular o Davi.

O que eu procurava era uma escola onde:

- a alimentação deveria ser extremamente saudável, com almoço balanceado para a idade dele e com lanches saudáveis, sem guloseimas, refrigerantes ou sucos artificiais (pois o Davi almoçaria na escola);

- apesar da pouca idade, já fosse apresentado algum conteúdo escolar, e não só "atividades lúdicas"que nada mais é do que colocarem as crianças em uma sala e elas ficarem brincando com a supervisão de um adulto. Pois para meu filho só brincar eu não ia pagar, ele poderia muito bem brincar em casa;

- o local onde tivesse sido projetado para ser escola, e não uma casa adaptada, pois quando se projeta uma escola faz-se pensando nos alunos e na idade deles, e quando se projeta uma casa, se faz pensando em uma família que lá poderá morar, e na adaptação de uma para outra pode-se até conseguir, mas muitas coisas deixa-se a desejar;

- fosse perto da minha casa, pois estaria com um bebê pequeno e não poderia ficar me locomovendo muito, fora que como tenho somente um carro tive que pesar o horário do rodízio aqui de São Paulo;

- tivesse áreas verdes para as crianças brincarem.

Então começou minha "saga". Fui visitar MUITAS escolas, algumas nem tão perto de casa, outras sem área verde, outras então pareciam depósitos de crianças, uma pior que a outra. Já tinha até cortado os últimos itens das minhas exigências pois parecia impossível uma escola ter tudo que eu queria.

Até que em uma conversa despretensiosa com uma amiga minha (que mora a 2 quarteirões da minha casa) disse que tinha matriculado a filhinha dela (que tem exatamente a mesma idade do Davi) em uma escola pertinho da nossa casa, e que se eu resolvesse colocar o Davi lá eles estudariam na mesma sala.

E lá fui eu, já desesperançosa conhecer a tal escola, e para minha surpresa foi paixão a primeira vista! Lá tinha tudo aquilo que eu queria e muito mais. Fiquei encantada com tudo, e o Davi que estava comigo nessa visita já se enturmou com quem seriam seus amigos exatamente por já conhecer a filha da minha amiga. 

A escola era (é, pois eles continuam lá até hoje) linda, com uma área verde grande, não tinha escadas, só rampas totalmente projetada para a educação infantil, salas com poucos alunos, as professoras todas formadas com pós graduação e muito simpáticas, do lado da minha casa, e o melhor, a alimentação saudável é um dos focos principais de lá. Para se ter uma idéia, tem nutricionista que auxilia no preparo das refeições, a comida é toda preparada lá, suco somente de fruta e da época e o melhor, não tem cantina, ou seja, não tem besteiras para os alunos comprarem. E se a mãe optar por mandar lanche de casa, não pode mandar salgadinhos, frituras nem refrigerantes. E isso é valido também quando para as festinhas da escola, nada pode ser frito, é proibido refrigerante e os doces são limitados por aluno.

Só como último "teste" levei minha mãe para ver a escola (sendo ela pedagoga poderia apontar coisas que eu não veria, mais como um preciosismo) e ela aprovou também.

Ficamos muito felizes e o Davi estava matriculado no mês seguinte, e conforme minhas expectativas o Davi amou a escola e eu também. Até a adaptação, no começo foi tranquila, mas isso eu conto em outro post.

Então fica a dica, na hora da escolha da escola, leia e procure saber muito a respeito. Converse com suas amigas e faça uma lista de "exigências" e não aceite menos. Pode até demorar, mas você vai acabar achando a escola perfeita para seu filho e aí não vai se arrepender.

E como foi com vocês, acharam a escola perfeita? O que mais vocês exigiram na hora da escolha da escola? Coloque nos comentários para continuarmos a conversa.

Bjos e até a próxima.

5 comentários: